As estimativas não devem ser utilizadas para analisar tendências temporais. A permanente produção de informações sobre a incidência de câncer, assim como alterações na metodologia de cálculo, impede a comparação de estimativas de diferentes períodos. As estimativas devem ser usadas para planejar ações futuras e não para fazer comparações históricas.